Tradução Gênica

Categorias Genética

O processo de tradução consiste em unir aminoácidos de acordo com a sequência de códons do mRNA. Códon é uma trinca de bases nitrogenadas do mRNA, que tem sua trinca complementar (anticódon) no tRNA correspondente.

A tradução ocorre nos ribossomos, que estão situados no citoplasmas das células. O mRNA é traduzido em proteína pela ação de vários tRNA. Existem 64 tipos de trincas possíveis de nucleotídeos, sendo que 61 codificam aminoácidos (2 sinalizam o inicio da tradução) e 3 trincas correspondem a sequências de término de tradução.

A tradução tem inicio com a associação de um ribossomo, um mRNA e um tRNA carregando o aminoácido metionina. O anticódon deste tRNA é UAC e seu códon no mRNA é AUG. Essa trinca consiste no códon de inicialização. Assim que os dois primeiros tRNA se encaixam, o ribossomo catalisa a ligação dos aminoácidos e desloca-se pela molécula de mRNA. Conforme ocorre esse deslocamento, as ligações entre os aminoácidos são realizadas até que seja identificado um códon finalizador(UGA, UAA ou UAG). Por fim, o polipeptídeo é liberado do ribossomo, que se torna disponível para a síntese de uma nova proteína[Alberts, 1999].

 

Referências:

ALBERTS, B. Biologia Molecular da Célula. Artmed Editora, Nona Edição, 1999.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *